domingo, 25 de janeiro de 2009

Manual do Pilantra

Em toda minha longa vida (mais de 19 anos) nunca dei de cara com bons manuais, seja ele de um prédio, de uma televisão ou de qualquer outra coisa. Sempre fiquei meio mordido com isso, será que ninguém eh professor o bastante pra mostrar o funcionamento de algo usando apenas a escrita?
Vi que um dos meus objetivos pessoais passou a ser este: construir um manual! Simples, elegante e realmente explicativo. Sabia que tinha feito algumas pequenas tentativas como montagem de um pequeno aparelho mas nada realmente de utilidade prática, diária (a não ser que você seja alcoólatra).

Pois bem. Então resolvi montar o exclusivo Manual do Pilantra. Para você que é fã e quer ser um pilantra também, acompanhe os 10 Passos da Conquista.

A primeira coisa que você tem que saber é que todo pilantra almeja 3 coisas:
1º Dinheiro ou algo valioso
2º Te passar para trás
3º Ganhar na loteria

Bem, ganhar na loteria todos querem, então o que realmente nos importa são os dois primeiros itens.
Pense em um rapaz que faria tudo pra conseguir o que quer. Isso, tipo o malvado da Malhação. Agora tira o jeito mongol de ser e adiciona um pouco de Romário no seu jeito. Agora você já tem a imagem do pilantra em sua cabeça.

Os 3 Passos da Conquista

1º Passo – Vestimenta

Vá numa loja qualquer e compre um traje de esporte fino. Abra 3 botões da camisa e deixe a manga sem abotoar; compre cordões de folheado a ouro (ou roube um, o que importa é a intenção); compre uma colônia barata que possa ser sentida a 3 km de distância.
Lembre-se que cada Pilantra tem seu estilo próprio, então dê seu toque na arrumação também.


2º Passo – Contatos

O Pilantra deve ter no mínimo 3 tipos de contato: A Fonte, O Fornecedor e o Otário.
A Fonte: contato que fornece todo e qualquer tipo de informação.
O Fornecedor: fornece todos os produtos, sejam contrabandeados, roubados ou simplesmente herdados a força.
O Otário: Todo malandro precisa de um otário para sobreviver. E para sua sorte nasce um a cada 34 minutos.


3º Passo – Prática

O primeiro contato com o Otário é importantíssimo, portanto a Abordagem deve ser realizada com cautela, sem ser frouxo. Seja firme e confiante de que seu trabalho é honesto.

- Opa, tranqüilo amizade?
- Han? Ah, tudo bom?
- Carro maneiro...C4?
- É sim. Bonito, não?
- Demais...eta foi mal cara arranhei teu carro sem querer com a minha chave..!
- Putz!
- Caraça, foi mal mesmo sangue... bobiei aqui
- Caraca...que merda...mas deixa pra lá..foi sem querer
- Porra...foi mal mesmo...se tiver qualquer coisa que eu possa fazer...que não seja a ver com dinhero...
- Não, não... Relaxa...

Após o contato inicial, você deve esperar um tempo para voltar a encontrar o Otário. Tenha em vista que não pode demorar para não perder o cliente e não pode ficar em cima para não espantá-lo.

- E ai, beleza? Lembra de mim?
- Lembro... o cara que arranhou meu carro outro dia..
- Pois é, rapaz... tô vendo que ainda n pintou né
- É, tenho andado sem tempo.
- Faz assim rapaz... meu amigo vende um daqueles sprays que você passa no carro e o arranhão some...posso pegar um pra você e tu me paga quando eu trouxer..
- Mas isso funciona mesmo? E a tonalidade?
- Ô! Funciona que só vendo... e o spray imita a tonalidade em volta, ficando perfeitinho.
- Poxa..! Então vê uma dessas pra mim que te pago aqui!
- Pra já, Patrão!
Aqui, a confiança mútua entre você e seu contato entram em cena, simplificando o trabalho.

- Fiiu! João! Manda uma daquelas latinhas de tinta em spray, aê!
- Beleza...de que cor?
- Prata.
- Que tonalidade?
- Qualquer uma serve...valeu rapaz! É quanto?
- Pra tu é dez.
- Já é, já te trago o dinheiro.

Lembre-se que um bom relacionamento com o Fornecedor é importantíssimo. Tenha em mente que o Fornecedor não deve ser tratado com o Otário.

- Aí chefia... trouxe teu spray mágico.
- Ah, legal... quanto foi?
- Foi quarentinha.
- Quarenta??
- É... o preço aumento aí...é a crise, doutor...
- Poxa...de qualquer forma é mais barato do que mandar pintar! Vou aplicar, então.
- Agora? Olha é melhor aplicar isso ae a noite...
- Por que?



Pra dar tempo de ir embora...


Bem, creio que ficou bom. Um manual consistente com detalhes e exemplos. Espero que tenha servido pra vocês, aprendizes de pilantra.


E lembrem-se: Cara de Pau é a alma do negócio!

4 comentários:

Arth disse...

Agora penso..
E se esse manual for lido pelo otário?!
Será que ele iria se tocar?!

Pedro disse...

mt otario p perceber

Léo disse...

hauhauhauhuahuaha

Anônimo disse...

o autor anda passando muito tempo com o José Arruda, com o tempo o manual muda de etapa